A EXPANSÃO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA E O CICLO D0 AZOTO

Um estudo liderado, pelo INRAE, foi realizado no sentido de estudar as opções de expansão da agricultura biológica a nível mundial, reconhecendo que um dos limites é o recurso limitado de nitrogênio no solo. Os cientistas do INRAE, da Universidade de Bordeaux, da Vrije Universiteit Amsterdam, da University of British Columbia e da University of Reading, criaram pela primeira vez um modelo que simula o que aconteceria com base na produção biológica, para cenários de 20% a 100% das produções mundiais neste modo de produção e o efeito sobre o ciclo global do nitrogênio para garantir a procura global de alimentos.
O estudo mostra que com base no consumo excessivo atual de alimentos produzidos de forma intensiva não seria possível adotar a agricultura biológica como principal método de agricultura. No entanto, mudanças nas políticas de produção animal, reduções no desperdício de alimentos e ampla adesão do consumidor a dietas mais sustentáveis podem significar que até 60% das terras agrícolas podem ser usadas para a agricultura biológica.
Segundo Dr. Laurence Smith, professor de Gestão de Negócios Agrícolas da Universidade de Reading, um dos autores do artigo:
“Os benefícios ambientais de uma agricultura biológica são inquestionavelmente importantes, pois o mundo sente os efeitos das mudanças climáticas causadas pelo homem, e a pesquisa mostra que há um potencial claro para o aumento da agricultura biológica, apesar dos limites de nitrogênio. A pecuária foi uma consideração chave para a pesquisa devido ao impacto que tem sobre o nitrogênio colocado no solo, mas isso mostra que é necessário haver um equilíbrio para criar um sistema alimentar mais ambientalmente sustentável.”
Ler mais aqui

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    PortugueseSpanishEnglish

    Menu Principal