Indicadores, ferramenta essencial para a tomada de decisão na produção orgânica

indicadores,-ferramenta-essencial-para-a-tomada-de-decisao-na-producao-organica

A revista Ae, da SEAE, dedica sua edição nº 48 para recolher as várias abordagens e enquadramentos analíticos que permitem monitorizar e / ou tornar visíveis as várias conceptualizações e metodologias de indicadores de produção biológica.

Um indicador é definido de uma forma muito simples como aquele que nos mostra onde uma situação está ou como ela está mudando. Se aplicarmos esse conceito à produção orgânica, não é mais simples se tornar um assunto tão complexo quanto merece continuar a mergulhar nele.

É por isso que Sociedade Espanhola de Agricultura Ecológica / Agroecologia (SEAE) dedica esta nova edição da

da revista Ae, a 24 , para recolher os mais diversos artigos e contribuições que contribuam para a conceptualização e definição dos múltiplos parâmetros, metodologias e abordagens que abordam os indicadores de produção biológica. Resumindo, a sua importância para a tomada de decisões em matéria de produção orgânica.

Houve mais de 42 os autores e autores que colaboram nesta edição, contribuindo com diversas perspectivas que vão desde o bem-estar humano, saúde e nutrição agroecológica até as políticas de biodiversidade. Inclui também iniciativas, experiências pessoais e projetos que partem da agroecologia e do conhecimento compartilhado e as habituais fichas práticas sobre raças autóctones, insumos, pragas e doenças ou sementes. o resumo de Ae 36 neste link .

Como avaliamos o que já aplicamos para continuar avançando no caminho certo?

Múltiplas metodologias foram desenvolvidas que incorporam diferentes indicadores quantitativos e qualitativos que podem ser aplicados em estudos sobre a produção orgânica, seja trabalhando na propriedade, na comunidade ou no território. Mas, como bem se vislumbra nesta edição de Ae, quando se trata de indicadores de produção orgânica, extrema cautela deve ser exercida e não generalizada a partir de um único indicador isolado (embora às vezes seja necessário na pesquisa científica. )

Essa forma de trabalhar pode levar a uma visão tendenciosa da realidade. Portanto, este número inclui algumas das diferentes perspectivas que funcionam nele e incorporam a visão integral (holística) muito necessária que permite estabelecer a relação e interpretação dos diversos indicadores.

E isso pode ser verificado nos artigos centrais da edição ( “Evidências para expandir a escala da Agroecologia”, do CERAI; “Avaliando o bem-estar humano dentro dos limites ecológicos”, de M. Aguado, e “A vida no centro desde os primeiros indicadores”, da SEAE ) ou na entrevista a Marta Astier, uma das promotoras dos conceituados Projeto MESMIS .

Ainda, em outras seções, outras situações se refletem nos artigos apresentados em que a escassez ou nulidade de indicadores impede a avaliação até de processos concluídos, como a Estratégia de Biodiversidade. Em última análise, a falta de um sistema de monitoramento adequado deixaria o setor completamente vulnerável à pressão e manipulação. Portanto, este número de Ae representa uma nova ponta de lança para continuar trabalhando e se aprofundando neste complexo assunto.

Mais informação: revista-ae@agroecologia.net

Os indicadores de entrada , ferramenta essencial para a tomada de decisão na produção orgânica foi publicado pela primeira vez em SEAE ).

PortugueseSpanishEnglish

Menu Principal